terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Orixás que regem 2009

por Monica Buonfiglio

No próximo ano, os orixás protetores são Iemanjá, Xangô e Oxossi. Leia, a seguir, a história de cada um deles.

Iemanjá
Significado: "Iya", mãe; "Omo", filho; "Eja", peixe
Dia da semana: sábado
Cores: branco e azul (cristal translúcido)
Saudação: O doiá! (odo, rio)
Elemento: água
Domínio: mar, água salgada
Instrumento: abebê (leque de metal e espelho)

Iemanjá é proveniente de uma nação chamada Egbá, na Nigéria, onde existe um rio com o mesmo nome deste orixá. Ela seria filha de Olokum (mar) e mãe da maioria dos Orixás. Sua cor é branca, associada ao orixá Oxalá, e juntos teriam criado o mundo.

Na África, Iemanjá é associada a fertilidade e fecundidade. Nas danças místicas, seus iniciados imitam o movimento das ondas, executando curiosos gestos - ora como se estivessem nadando no mar, abrindo os braços, ora levando as mãos à testa e elevando-as ao céu, indicando as variações das ondas do mar.

Iemanjá segura um leque de metal e um espelho. Tem diversos nomes (ou qualidades) referentes à diversidade e às diferentes profundidades dos trechos do rio "Yemoja".

O seu leque, chamado abebê, tem em seu centro um recorte, onde surge o desenho de uma sereia. Em outros modelos deste apetrecho, constam a lua e a estrela.

Complacente e pródiga, é responsável pela pescaria farta, além da vida com abundância de alimentos. Ela não lembra a volúpia das sereias das lendas européias ou a Iara dos mitos indígenas, mas é representada e cultuada com muito respeito, pois é a mãe da criação.

Xangô
Significado: aquele que se destaca pela força
Dia da semana: quarta-feira
Cores: vermelho (ativo), branco (paz), marrom (terra)
Saudação: Kaô Kabiesilê! (venham ver nascer sobre o chão)
Elemento: terra (pedras)
Domínio: rochas que o raio quebra
Instrumento: oxé (machado de pedra de lâmina dupla)

Xangô é o orixá cujo domínio está nas rochas, principalmente as que foram destruídas pelos raios. Na África, é chamado Jacuta, ou seja, "o lançador de pedras".

Ele reinava soberano na cidade de Oyó. Quando decidiu se transferir para Kossô, não foi aceito por seu caráter violento e autoritário. Decidiu, então, retornar à Oyó, onde reinava Dadá, seu irmão mais velho, que foi destronado e permaneceu exilado em Igbono durante sete anos.

O símbolo de Xangô é o oxé, um machado de duas lâminas que seus filhos, quando estão em transe, levam na mão.

O orixá é viril, atrevido e extremamente justiceiro. Tem Iemanjá como mãe e três divindades como esposas: Iansã, Oxum e Obá.

Iansã era a esposa de Ogum, mas encantou-se por Xangô. Oxum vivia com Oxossi e também foi seduzida por este orixá, que usava argolas de ouro nas orelhas, uma longa trança e uma roupa repleta de búzios - moeda corrente na época. Obá, apesar de ser uma deusa mais velha, também foi esposa de Xangô.

Na Nigéria, as festas consagradas a Xangô são um espetáculo à parte. O elegum do orixá, em transe, vai ao mercado central para ser admirado e também aos lugares que visitou antes de morrer e de ser tornar um orixá. O elegum do deus da justiça só evita visitar o palácio onde, segundo certas lendas, Xangô teria se enforcado em uma árvore de obi - por isso, sua aversão à morte e aos eguns (mortos).

Sua importância no Brasil é tamanha que chegou a originar cultos específicos em Pernambuco e em outros estados da região Nordeste do País.

Oxossi
Significado: "oxó", caçador; "ossi", noturno
Dia da semana: quinta-feira
Cor: azul turquesa (cor do céu no início do dia)
Saudação: O Kiarô! (okaaro significa bom dia, em iorubá)
Elemento: ar
Domínio: matas e caça
Instrumento: ofá (arco e flecha)

Oxossi é filho de Oxalá e Iemanjá, irmão de Ogum e Exu. Também é conhecido como Odé. Na África, é o orixá responsável pela caça. Tradicionalmente, é associado à lua, porque à noite é o seu melhor momento para caçar.

Assim como seus irmãos Exu e Ogum, é um guerreiro solitário. Não lidera ou comanda exércitos como Ogum, mas luta pela sobrevivência da tribo e está disposto para qualquer combate. Os filhos de Oxossi estão dispostos a passar por qualquer dificuldade para obter o sustento da família.

Seu símbolo é o arco e flecha, geralmente de ferro, chamado ofá. E sua pontaria é sempre certeira. Ao ser posicionada no arco, sua seta irá acertar o alvo.

Usa também o erukerê (rabo de cavalo que era usado só pelos reis). Como orixá, sua responsabilidade em relação ao mundo é garantir a vida dos animais, que somente são sacrificados por absoluta necessidade de alimentação.

O culto a esse orixá é bastante difundido no Brasil, mas pouco lembrado na Nigéria. Lá, Oxossi foi cultuado basicamente na cidade de Keto (terra dos panos vermelhos).

No século XIX, devido ao tráfico negreiro, a cidade foi praticamente destruída pelos saques das tropas do rei Daomé. Os filhos consagrados a Oxossi foram vendidos como escravos no Brasil, Antilhas e Cuba.

2 comentários:

Guedes disse...

Mas segundo o candomblé, o Ano de 2009 será regido por Iansã e Oxóssi. Este é um ano que acaba em 9, o que coincide com o Odú n.º 9 (Ossá), e que indica também uma forte presença de Yemonjá com influências de Xangô, Ossain, Oxóssi e Iansã.

Laura disse...

Tá tão bagunçado e as pessoas andam discutindo tanto quem regerá o ano, que só podia ser Oxóssi mesmo... rsrs

E Monica Bonfiglio... tenho meu pé atrás!