sábado, 26 de setembro de 2009

Falange médicos do astral

Vamos estudar um pouco, uma Fa­­lange bem conhecida dentro da Um­banda, relacionada com a Linha do Oriente e normalmente colocada na sétima hierarquia da mesma: a Fa­lange dos Médicos ou Curadores.

Comandada pelo sábio José de Ari­matéia (Yosef Ha-Aramataiym em he­braico), um discípulo oculto do Mes­tre Jesus, ela agrupa inúmeros tera­peu­tas do corpo e da alma.
Tradições ocultas nos contam que José, um rico membro do tribunal rabí­nico de Jerusalém, depois de conse­guir um lugar para Jesus ser sepul­tado, viajou para o Ocidente trazendo o Santo Graal.

Ele teria aportado nas costas britâ­nicas com alguns discí­pulos, sal­vando o objeto mais precio­so do Cristia­nismo. José de Arimatéia, ao chegar on­de hoje é a Inglaterra no ano de 36 D.C., encontrou lá os poderosos sa­cer­do­tes druidas e fez uma especial tro­ca de ensinamentos e segredos eso­téricos.

Desde então, uma miste­rio­­sa escola nasceu e continuou pelos séculos. A Umbanda brasileira, legí­tima her­deira do esoterismo cristão, tam­bém trabalha espiritualmente com es­ta herança.

A Linha do Oriente, que contém a Falange de José e a Falange dos Europeus demons­tra esta riqueza admirável.

A Falange dos Médicos do Astral é uma egrégora composta de cen­tenas de trabalhadores espirituais. Na maioria das vezes, eles foram em suas últimas vidas, médicos, curan­dei­ros, raizeiros, benzedores e reza­dores. Este exército de caridade é clas­­­si­ficado em sete agrupamentos ou Legiões (alguns as chamam de Po­vos).

I - Legião dos Doutores ou Médicos:
Composta por doutores da medi­cina ocidental convencional ou ho­meo­patas : Dr. André Luiz, Dr. Ro­dolfo de Almeida, Dr. João Correia, Dr. José Gregório Hernan­déz, entre outros.

II - Legião dos Médicos Orientais:
Terapeutas orientais, especia­listas em fitoterapia, acupuntura, massagem e nas principais disciplinas médicas tradicionais da Ásia: Ra­ma­tis, Mestre Agastyar, Babaji.

III - Legião dos Curandeiros:
Curandeiros e Xamãs nativos das Américas, África e Oceania : caboclos e pretos velhos, feiticeiros tradicio­nais, alguns exus - como o Exu Curador, Seu Maramael.

IV - Legião dos Rezadores:
Rezadores, benzedores e os prat­i­can­tes da medicina religiosa ou espi­ritual. Aqui encontramos todo os que curavam pela imposição das mãos, fé e oração : Pai João Maria de Agosti­nho, Pai João de Camargo, Vó Nhá Chi­ca, Mestre Philippe de Lyon, Abade Julio.

V - Legião dos Raizeiros :
Praticantes da medicina folclórica e mágica regional. São os mestres jure­meiros brasileiros, os ervateiros ou chamarreiros das Américas e todos os especialistas na flora, fauna e mi­ne­rais curativos: Dom Nicanor Ochoa, Mestre Inácio, Mestre Carlos de Oli­veira, Mestre Rei Heron.

VI - Legião dos Cabalistas e Alquimistas:
Espíritos dos velhos cabalistas e alqui­mistas, conhecedores dos segredos das plantas e cristais : Pai Isaac da Fon­seca (primeiro cabalista brasi­leiro), Nicolau Flamel, Paracel­sus, Pai Jacó.

VII - Legião dos Santos Curadores:
Santos católicos celebrados como médicos, curandeiros ou especialistas na cura de alguma doença : Santa Luzia - olhos, Santa Ágata - seios, São Lazaro - doenças de pele, São Bento - envenenamentos.


retirado do Jus

4 comentários:

José Costa de Oliveira disse...

Em qual grupamento ou legião se situa o chamado Dr. Zé Pelintra?

Guedes disse...

Bastante considerado, especialmente entre os umbandistas, como o espírito patrono dos bares, locais de jogo e sarjetas (embora não alinhado com entidades de cunho negativo), é uma espécie de transcrição arquetípica do "malandro". No seu modo de vestir, bastante típico, Zé Pelintra é representado trajando terno completo na cor branca, sapatos de cromo, gravata grená ou vermelha e chapéu panamá de fita vermelha ou preta.

Apesar de ter importância religiosa tanto para os praticantes de catimbó quanto de umbanda, Zé Pelintra é entidade originária desta última. A absorção da entidade de uma religião por outra se processou quando os grandes centros urbanos do sudeste do Brasil passaram a englobar antigas áreas rurais e estimular a migração de trabalhadores de outras partes do país, em seu processo de desenvolvimento. Na medida em que isso foi acontecendo, os sacerdotes do catimbó passaram a considerar Zé Pelintra como uma entidade pertencente, também, ao seu próprio culto.

Zé Pelintra é invocado quando seus seguidores precisam de ajuda com questões domésticas, de negócios ou financeiras e é reputado como um obreiro da caridade e da feitura de coisas boas

Aída disse...

Onde estaria o Dr.João Iacá?

Aída disse...

Onde estaria o Dr.João Iacá?