segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Os Ibeijis

Ibeiji, o único Orixá permanentemente duplo. É formado por duas entidades distintas e sua função básica é indicar a contradição, os opostos que coexistem. Num plano mais terreno, por ser criança. A ele é associado a tudo o que se inicia: a nascente de um rio, o germinar das plantas, o nascimento de um ser humano.

No dia de Ibeiji, 27 de setembro (o mesmo de Cosme e Damião, com quem são sincretizados), é costume as casas de culto abrirem suas portas e oferecerem mesas fartas de doces e comidas para as crianças, elevadas à condição de representantes na terra do Orixá.

Regem a falange das crianças que trabalham na Umbanda.


Atribuições

Zelar pelo Parto e Infância. Promover o amor(união).

Lendas De Ibeiji

Como Os Irmãos Ibeiji Viraram Orixá

Existia num reino dois pequenos príncipes gêmeos que traziam sorte a todos. Os problemas mais difíceis eram resolvidos por eles; em troca, pediam doces balas e brinquedos. Esses meninos faziam muitas traquinagens e, um dia, brincando próximos a uma cachoeira, um deles caiu no rio e morreu afogado. Todos do reino ficaram muito tristes pela morte do príncipe. O gêmeo que sobreviveu não tinha mais vontade de comer e vivia chorando de saudades do seu irmão, pedia sempre a orumilá que o levasse para perto do irmão. Sensibilizado pelo pedido, orumilá resolveu levá-lo para se encontrar com o irmão no céu, deixando na terra duas imagens de barro. Desde então, todos que precisam de ajuda deixam oferendas aos pés dessas imagens para ter seus pedidos atendidos.

Um comentário:

Laura disse...

Saravá as crianças Erês!

No livro do Pai Fernando tem uma comparação muito bonita dos erês com as crianças com Síndrome de Down... vivem num mundo próprio, mágico...
E também é aquilo né, um espírito com a docilidade e a esperteza da criança, assim como a idade e a sabedoria de um preto-velho...
Nada de gritos e choros e manhas, Erês são espíritos de muuuita Luz...